Corredores ecológicos abrigam animais em meio a canavial da Santo Ângelo

Um trabalho de reflorestamento das áreas de preservação permanente (APPs), como nascentes, córregos e veredas, desde 2004, somadas as áreas de Reserva Legal (florestas preservadas), transformaram cerca de 1.568 hectares em verdadeiros corredores ecológicos em meio à cana de açúcar, na Usina Santo Ângelo (município de Pirajuba no Triângulo Mineiro).

De acordo com o coordenador Ambiental, Decriê Polastrini, foram plantadas nos últimos 13 anos mais de 300 mil mudas de espécies nativas do Cerrado, como pequi, ipê e aroeira, criando o corredor ecológico e favorecendo o aparecimento de vários animais.

“A atividade industrial com a proteção dos recursos naturais e florestas é uma prioridade dentro da Santo Ângelo”, diz Decriê.

Inúmeras espécies de aves, répteis e até onça parda têm sido avistados nas áreas do corredor ecológico, que serve de passagem abrigo e reprodução para os animais, diz Decriê.

Localizada em Pirajuba, no Baixo Rio Grande, a Usina Santo Ângelo tem 33 anos de história. As estimativas para este ano incluem a moagem de 3,2 milhões de toneladas de cana de açúcar para fabricação do etanol, combustível limpo e renovável, açúcar, principala energético para o ser humano e energia elétrica do bagaço de cana.

Fonte: Usina Santo Ângelo - 18/12/17

 

Relacionadas