Bagaço da cana pode virar cápsulas de proteína

Muitas usinas, empresas privadas e instituições de pesquisa vêm trabalhando no sentido de encontrar novos usos para a biomassa da cana-de-açúcar. Uma linha de pesquisa, menos convencional, transforma bagaço em cápsulas de proteína que melhoram o nosso condicionamento físico. Uma das responsáveis pelo projeto, nascido dentro da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), no campus de Araras, é a estudante do terceiro ano do curso bacharelado em biotecnologia, Júlia Gandolphi.

Ela explica que o estudo sobre tratamento de bagaço de cana-de-açúcar com fungos já existia sob a orientação da professora Dejanira, da Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (UNESP), campus Rio Claro. “Porém, foi na UFSCar que o Prof° Vico (Octavio Antônio Valsechi teve a ideia de criar um suplemento alimentar, após concluir que os microrganismos utilizados no tratamento são benéficos também a saúde humana.”

Segundo Júlia, o suplemento alimentar é desenvolvido a partir do bagaço da cana por meio da introdução de um fungo, que se alimenta de celulose. Por isso, ele consome o bagaço e cresce e, a partir desse material, é feita a cápsula. “Esse suplemento, além de ser rico em proteínas, possuir alta concentração de fibras e baixo teor de gordura, conta, ainda, com agentes anticancerígenos.”

Outra grande vantagem desse produto é o fato de ele não possuir lactose, ou seja, seu consumo é possível mesmo por pessoas com intolerância. “Atualmente, existem muitos suplementos comerciais disponíveis no mercado, porém, são produtos feitos à base de substâncias presentes no leite, que muitos não podem consumir.”

Atualmente, o projeto se encontra em fase final de desenvolvimento em laboratório, sendo que os pesquisadores já estão à procura de investidores e parceiros para a colocação dessas cápsulas no mercado.

(Fonte: Cana Online – 20/04/17)

 

 

Relacionadas