Cotações do açúcar caem pressionadas por superávit mundial

 Os preços do açúcar nas bolsas internacionais seguem com as cotações pressionadas pelas previsões de superávit na oferta mundial. De acordo com o jornal Valor Econômico de hoje (13), as estimativas para o excedente na safra 2018/19 vão de 7,2 milhões de toneladas a 10,658 milhões de toneladas - mesmo com uma queda de 1,15% na produção do Brasil, maior produtor mundial.

Ontem, (12), em Nova York, os contratos futuros do açúcar bruto para outubro/18 foram firmados em 11.08 centavos de dólar por libra-peso, queda de 21 pontos enquanto que os negócios para março/19 caíram 19 pontos, consolidados a 11.84 cts/lb. Os demais contratos fecharam em queda entre 7 e 17 pontos.

Em Londres, os contratos futuros do açúcar branco para agosto/18 fecharam o pregão a US$ 339,60 a tonelada, queda de 60 cents de dólar e os papéis firmados para outubro/18 encerraram o dia a US$ 329,00 a tonelada, queda de 2,30 dólares. As demais cotações caíram entre 1,80 e 4,10 dólares.

Mercado interno

No Brasil, a saca de 50 kg do tipo cristal foi negociada a R$ 55,64, desvalorização de 0,94% perante o dia anterior, de acordo com o indicador Cepea/Esalq, da USP.

Etanol

Pelo indicador diário da Esalq/BM&FBovespa, Posto Paulínia, o metro cúbico do etanol hidratado fechou em R$ 1.532,50, queda de 0,26%. No mês de julho, o indicador ainda não registrou valorização.

Fonte: Agência UDOP de Notícias – 13/07/2018

 

Relacionadas