Etanol tem ligeira vantagem sobre gasolina após a alta dos impostos

O etanol teve uma ligeira vantagem após a alta dos impostos sobre os combustíveis. Tarcilo Rodrigues, diretor da Bioagência, destaca que o aumento da alíquota do PIS/Confis para a gasolina era uma antiga reinvindicação do setor sucroenergético e que a competitividade teve uma melhora, embora “nada excepcional”, já que houve também aumento nas alíquotas do etanol.

Nos próximos dias, o setor irá medir esse impacto, mas desde já acreditam que houve uma maior procura do etanol em detrimento da gasolina. No curto prazo, este cenário não muda o mix de produção (açúcar X etanol), já que a safra foi negociada, com contratos previamente ajustados para o açúcar. Entretanto, cria-se um novo horizonte para o próximo ano.

Rodrigues salienta que não é possível avaliar pontualmente a relação do etanol com o açúcar, já que o biocombustível depende de outras variáveis, como o preço mundial do petróleo e da gasolina. Esses fatores, que ainda estão por vir, irão determinar a paridade real. Contudo, o diretor diz que, se tivesse que apostar, a situação atual se manteria para o próximo ano, com os dois mercados crescendo proporcionalmente.

Hoje, os valores que são pagos tanto pelo etanol quanto pelo açúcar não remuneram, já que o estoque da dívida do setor ainda é muito elevado. O investimento, como visualiza Rodrigues, será fundamental para alcançar as metas que o próprio governo propôs.

(Fonte: Notícias Agrícolas – 10/08/17)

 

Relacionadas