Futuro da comunicação em pauta na FIEMG

A agregação de valor aos produtos jornalísticos foi o principal tema debatido pelos empresários da Câmara da Indústria da Comunicação e do Audiovisual da FIEMG. Reunidos nesta quarta-feira, 14 de agosto, eles receberam o presidente da entidade, Flávio Roscoe para dialogarem sobre o futuro do setor, visando a atração de negócios e emprego para Minas Gerais.

“A comunicação foi um dos setores que mais se transformou nos últimos tempos. A área vive um período de profunda transformação, em que há ameaças e, sobretudo, muitas oportunidades”, comentou Roscoe. Para ele, o momento de incerteza para veículos impressos de comunicação, pela redução de assinaturas e de compra em banca, reforça a necessidade de investimento em geração de conteúdo de qualidade. “Quem trabalha com jornalismo possui um ativo valioso, que é a informação, a credibilidade”, afirmou.

Junto de representantes de empresas do interior de Minas Gerais, o presidente da FIEMG lembrou ainda sobre a importância da produção de conteúdos locais. De acordo com o industrial, as grandes redes de comunicação não conseguem ter a penetração que os jornais regionais possuem, por estarem próximos ao público leitor.

A analista em inteligência competitiva da FIEMG, Raquel Andrade, apresentou aos membros da Câmara um estudo feito pela entidade que confirma a importância do conteúdo local. Ela mostrou pesquisas que sobre o desejo do público leitor em ter acesso a notícias que falem de suas regiões.

O novo presidente do Sindicato da Indústria Digital de Minas Gerais (Sindinfor), Fábio Veras, em sua primeira participação na Câmara também abordou o tema da transformação do setor de comunicação. “A mentalidade digital, a construção de conteúdos relevantes e as novas formas de publicidade devem estar no nosso debate”, opinou.

Fiemg - 15/08/2019

 

Relacionadas