Pesquisa identifica impactos na comunidade da recuperação judicial ou fechamento de usinas

A SIAMIG recebeu esta semana a visita do professor e da mestranda, Pery Shikida e Suellen Barth dos Santos, da área de Desenvolvimento Regional e Agronegócio da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste). Eles estão fazendo uma pesquisa acadêmica, a fim de analisar as causas das falências das agroindústrias canavieiras e o impacto que isso causa nas comunidades. Em Minas Gerais vão entrevistar usina e comunidade no Sul de Minas.

Pery disse que depois de terem analisado vários dados secundários da pesquisa dos questionários enviados, está na fase de entrevistas nas cidades que estão com usinas ou paralisadas ou em recuperação judicial para levantar quais são os sentimentos e percepções da comunidade quanto a situação. “Para uma cidade em que a usina é a força motriz quando ocorre uma paralisação o impacto é muito negativo”, destaca.

O professor disse que tem a perspectiva de fazer uma visita também ao governo do estado de Minas Gerais para levantar junto ao poder público os impactos para o estado como um todo. “Queremos agora dar uma robustez maior a pesquisa, com uma pesquisa in loco”, afirmou.

Pesquisa

A pesquisa começou há dois anos, financiada pelo governo Federal, com um universo de 25% das usinas que paralisaram ou estão em recuperação judicial no país. Essa segunda fase, prevê a realização de entrevistas em Minas Gerais, Paraná e São Paulo. “Escolhemos Minas Gerais para fazer as entrevistas, porque encontramos uma abertura e contribuição muito grande em nos ajudar por parte da SIAMIG”, diz Pery. Ele ressalta que esse apoio é muito importante para o desenvolvimento dos trabalhos científicos acadêmicos. Ele espera que a pesquisa seja finalizada em março de 2021.

 

 


Fonte: Gerência Comunicação SIAMIG – 27/11

 

Relacionadas