Preços do açúcar têm nova queda brusca e rompem barreira dos 13 cts/lb

Os preços do açúcar se mantiveram em baixa durante toda a quinta-feira (22) e fecharam abaixo dos 13 cts/lb, pressionados, segundo analistas, pela queda dos preços do petróleo e pela desvalorização do dólar ante o real.

Segundo o Informativo Diário da CMA Safras&Mercado, "a proximidade do suporte natural e psicológico de US$/cents 13,00 é um marco importante no mercado porque aproxima o vencimento Outubro/17 do custo de produção.

 Esta nova queda está diretamente ligada aos fundamentos [superávit de 3 a 8 milhões de toneladas para a safra internacional 2017/18 que começa em outubro deste ano] e, mais recentemente, à desvalorização do real e do petróleo".

Ainda de acordo com os analistas da CMA, "a queda no petróleo bate direto nos preços da gasolina diante da nova política de paridade externa de preços da Petrobras. Com isto muitos agentes observam as usinas elevando o mix de produção para o açúcar diante da dificuldade do etanol hidratado manter a competitividade de 70% com a gasolina".

Diante deste cenário os preços da commodity, na bolsa de Nova York, caíram ontem em todos os lotes. No vencimento julho/17 o açúcar foi comercializado a 12.84 centavos de dólar por libra-peso, baixa de 22 pontos no comparativo com a véspera. As demais telas retraíram entre seis e 20 pontos.

Em Londres o dia também foi de grandes perdas. Na tela de agosto/17 a commodity fechou cotada a US$ 392,50 a tonelada, 4,70 dólares a menos que o dia anterior. Nos demais lotes as desvalorizações oscilaram entre 2,80 e 3,80 dólares.

Mercado interno

Os preços do açúcar cristal no mercado interno, medidos pelo Cepea/Esalq, da USP, tiveram a quarta queda seguida na semana, negociados a R$ 70,24 a saca de 50 quilos, baixa de 0,93% no comparativo com os preços praticados na véspera.

Etanol diário

O etanol hidratado amargou sua quinta queda seguida pelos índices da Esalq/BVMF. O metro cúbico do biocombustível foi negociado ontem pelas usinas paulistas a R$ 1.362,50, variação negativa de 0,44% no comparativo com os preços praticados na quarta-feira.

(Fonte: Agência UDOP de Notícias – 23/06/17)

 

Relacionadas