Produção de açúcar no Nordeste e Norte cresceu 6% até dezembro, diz associação

A produção de açúcar das usinas do Nordeste e do Norte chegou a 2,161 milhões de toneladas no intervalo entre setembro - quando começou a safra regional - e 31 de dezembro, de acordo com dados compilados pela Associação de Produtores de Açúcar, Etanol e Bioenergia (NovaBio). O volume é 6% maior que o do mesmo período da temporada passada.

O aumento ocorreu com a melhoria da produtividade das usinas e porque elas ficaram mais "açucareiras" no novo ciclo. De setembro a dezembro, as usinas da região moeram 39,883 milhões de toneladas, o que representou uma leve redução, de 0,8%, em comparação com os números do mesmo intervalo de 2019/20. A qualidade da matéria-prima sofreu uma pequena perda até o momento, e a quantidade de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) está em média em 133,24 quilos por tonelada de cana, recuo de 1%.

Do total de cana processada, 42,59% foi destinada à produção de açúcar desde o início da safra; no mesmo período da temporada passada, a fatia foi de 39,75%. Com isso, a produção de etanol recuou 5,9%, para 1,716 bilhão de litros, dos quais 893,3 milhões de litros foram de etanol hidratado e 823,2 milhões de litros foram de etanol anidro.

No dia 31 de dezembro, as usinas tinham em estoque mais etanol anidro do que hidratado. Havia 233,5 milhões de litros de anidro armazenados, aumento de 58,5% em relação a um ano atrás, e 151,7 milhões de litros de hidratado, redução de 31,2%.

 

Fonte:  Valor Econômico -  13/01

 

Relacionadas