Notícias

Lula pede apoio internacional para produção de hidrogênio verde, etanol e biodiesel

05 de Fevereiro de 2024

Artigos

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu nesta sexta-feira, 2, apoio internacional para países investirem no Brasil e auxiliarem na produção de hidrogênio, etanol e biodiesel. Na fala, o chefe do Executivo afirmou que nunca viu a Alemanha com tanto interesse em investir no País como está agora.

“Eu conheço a Alemanha desde 1975 e nunca vi a Alemanha olhar com tanto interesse no Brasil como está agora”, declarou em cerimônia de anúncio do novo ciclo de investimentos da Volkswagen do Brasil, nesta sexta. O evento ocorreu em São Bernardo do Campo, em São Paulo.

Para o ciclo de 2022 a 2026, a Volkswagen havia anunciado um aporte de investimentos de R$ 7 bilhões na América Latina. Agora, para o novo ciclo previsto para os anos de 2026 a 2028, serão somados mais R$ 9 bilhões. Até 2028, a empresa projeta o lançamento de 16 novos veículos, incluindo modelos híbridos, 100% elétricos e Total Flex.

“Fui (em 2023) para Dubai, Arábia Saudita, Catar e nunca vi tanto interesse em fazer investimento no Brasil. Venham, venham ajudar a gente produzir hidrogênio verde, etanol e biodiesel. Venha ajudar a gente porque o Brasil não vai jogar (fora) as oportunidades do século 21″, afirmou. Na fala, ele disse que irá aproveitar “todas as oportunidades” para, “finalmente”, tornar o Brasil um país desenvolvido.

Lula comparou a imagem do Brasil no exterior antes de sua volta à presidência à má fase do Corinthians, time para o qual torce. Ele disse que, nos governos anteriores, o Brasil foi “desmontado”, e voltou a mencionar ações de seu governo, como a retomada de políticas públicas que haviam sido interrompidas e a nova edição do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). De acordo com Lula, o governo começará agora a colher os frutos das medidas do primeiro ano.

“A imagem do Brasil no exterior estava pior do que a imagem do Corinthians hoje na minha cabeça. Eu não consigo mais ver o Corinthians jogar, eu não consigo. Mas continuo corintiano”, declarou o presidente da República.

O petista repetiu que, até o final de seu governo, quem ganha até R$ 5 mil por mês não pagará Imposto de Renda. E voltou a dizer que o programa de poupanças para o ensino médio, o Pé de Meia, é um investimento, e não gasto.

Também presente no evento, o vice-presidente da República e ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Geraldo Alckmin, afirmou que a atual gestão irá recuperar a indústria do Brasil e fazê-la crescer.

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Moisés Selerges, aproveitou a cerimônia para cobrar do governo a inclusão de metas de emprego e de aumento da participação da indústria no PIB no plano lançado pelo Executivo para revitalizar o parque industrial do Brasil.

“Quero parabenizar o governo, embora a gente precise de alguns ajustes, talvez, Alckmin, de colocar meta para o PIB. A indústria tem que sair de 10% para ir para 15%. Temos que ter meta de emprego no plano da indústria. Quantos empregos vamos gerar nesse período? Temos que falar para o BNDES, Alckmin, que o dinheiro que o BNDES vai disponibilizar tem que chegar naquele que vai investir”, disse Selerges.

Fonte: Estadão.com - 02/02/2024

Veja também